Barra de Cunhaú

Mártires

O município de Canguaretama também é conhecido pela fé do seu povo. Uma das razões para o fato está no episódio que deu origem aos “Santos Mártires de Cunhaú”, canonizados recentemente pelo Vaticano. No contexto histórico das invasões holandesas no Brasil, em 1645, católicos foram martirizados no interior do Rio Grande do Norte, parte deles no município de São Gonçalo do Amarante, chamados de “Mártires de Uruaçu”, e outra parte em Canguaretama, na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no engenho Cunhaú.

Era domingo, dia 16 de julho daquele ano. Como de costume, fiéis foram à missa na referida capela. Porém, Jacob Rabbi, alemão a serviço do governo holandês, havia fixado um edital no local dizendo que, após a celebração, ordens seriam cumpridas. Quando o pároco André de Soveral elevou o Corpo e o Sangue de Cristo, as portas da capela foram fechadas e deu-se início a cenas de violência e intolerância. Ao perceberem que seriam mortos, eles não reagiram, apenas se confessaram e pediram perdão pelas suas culpas.

Em 15 de outubro de 2017, o Papa Francisco canonizou, na Praça de São Pedro, os Protomártires do Brasil. Atualmente, eles são lembrados em duas datas: 16 de julho em Canguaretama e 03 de outubro em São Gonçalo do Amarante. Esta última é, inclusive, feriado estadual no Rio Grande do Norte. A capela de Nossa Senhora das Candeias, no antigo engenho de Cunha, é até hoje lugar de romarias e peregrinações.